CIRURGIA BARIÁTRICA: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER

cirurgia bariatrica

Os Segredos da
Cirurgia Bariátrica

Descubra se a cirurgia bariátrica é para você e
conheça 7 segredos que ninguém te conta sobre a bariátrica.

CIRURGIA BARIÁTRICA: SONHO OU PESADELO?

Fazer uma cirurgia bariátrica talvez seja seu maior sonho ou seu pior pesadelo.

Independente de como você se sente nesse momento, é importante que você conheça mais a respeito da cirurgia e entenda se a redução de estômago é para você ou não e tudo que envolve a escolha de seguir por esse caminho.

Uma coisa é certa, se você está obesa(o) existe uma solução para você.

Não importa o quanto você já tentou, não importa quantas vezes você já fracassou.

O que você deve ter em mente é que você não pode desistir da pessoa mais especial no mundo que é você mesma(o).

Nesse artigo, vou dividir com você informações essenciais sobre a cirurgia bariátrica e te explicar por quê há cada ano que passa há mais pessoas realizando esse procedimento com foco em emagrecer e ter qualidade de vida.

E para fechar o assunto com chave de ouro, vou responder as 7 principais dúvidas que quem pensa em fazer cirurgia bariátrica têm.

Afinal, nada melhor do que ter todas as suas dúvidas esclarecidas para tomar suas decisões de forma pensada e com o risco calculado.

QUEM PODE FAZER CIRURGIA BARIÁTRICA?

A cirurgia bariátrica é indicada considerando 3 dimensões: idade, IMC e tempo de doença.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, os pacientes com:

IMC maior que 40 kg/m²: são indicados a cirurgia independentemente da presença de comorbidades.
IMC entre 35 e 40 kg/m²: podem ter indicação cirúrgica desde que tenham comorbidades associadas.
IMC entre 30 e 35 kg/m²: podem realizar a cirurgia barátrica, desde que suas comorbidades sejam consideradas graves de acordo com avaliação médica de especialista da área.
É importante saber que antes de recorrer a cirurgia é necessário ter tentado os tratamentos convencionais por pelo menos 2 anos e estar obeso há 5 anos.

O indicado é que a cirurgia seja feita entre os 18 e 65 anos, porém há casos que são avaliados em pacientes com mais de 16 e menos de 18 anos e também com mais de 65 anos, onde são feitas análises e estudo dos riscos e potenciais complicações.

COMO É FEITA A CIRURGIA BARIÁTRICA

Existem duas principais formas de se fazer a cirurgia bariátrica.

Ela pode ser feita pelo modo tradicional, por meio de uma cirurgia aberta. Nesse caso é feito um corte vertical de cerca de 10 centímetros na sua barriga na altura do estômago para se realizar a operação.

Outra opção, mais moderna, é fazer a cirurgia bariátrica por videolaparoscopia. Nesse modo, são feitos cinco pequenos furos na sua barriga, por onde são inseridos os aparelhos e a câmera para se realizar o procedimento.

Além disso, é bacana saber que existe mais de um tipo de cirurgia bariátrica e que cada uma das técnicas disponíveis transforma a anatomia do seu corpo de um jeito diferente e tem vantagens e desvantagens.

ENTENDA OS TIPOS DE CIRURGIA BARIÁTRICA

Existem duas principais formas de se fazer a cirurgia bariátrica.

Ela pode ser feita pelo modo tradicional, por meio de uma cirurgia aberta. Nesse caso é feito um corte vertical de cerca de 10 centímetros na sua barriga na altura do estômago para se realizar a operação.

Outra opção, mais moderna, é fazer a cirurgia bariátrica por videolaparoscopia. Nesse modo, são feitos cinco pequenos furos na sua barriga, por onde são inseridos os aparelhos e a câmera para se realizar o procedimento.

Além disso, é bacana saber que existe mais de um tipo de cirurgia bariátrica e que cada uma das técnicas disponíveis transforma a anatomia do seu corpo de um jeito diferente e tem vantagens e desvantagens.

TÉCNICAS DE CIRURGIA BARIÁTRICA

Quando falamos em cirurgia bariátrica, existem diferentes técnicas que podem ser utilizadas para garantir uma perda de peso efetiva e duradoura.

Com o passar dos anos os médicos foram aprimorando e melhorando o procedimento em busca de melhores resultados.

Por conta disso, foram sendo criadas variáveis da cirurgia, mas nem todas as técnicas são aprovadas pelos órgãos oficiais do meio médico.

Hoje, no Brasil (e no mundo) as técnicas mais realizadas são o bypass gástrico e o sleeve, elas são conhecidas por terem demonstrado sua efetividade ao longo dos anos e apresentarem melhores benefícios e menores desvantagens quando comparada aos outros procedimentos.

QUAIS OS RISCOS DA CIRURGIA BARIÁTRICA?

Felizmente, os índices de mortalidade relacionados a cirurgia bariátrica são bem pequenos, sendo o risco menor que 2%.

Apesar disso, a cirurgia tem significativos efeitos adversos, ou seja, consequências para quem é operado.

Vômitos, náuseas, dores no estômago, refluxo e síndrome de dumping estão entre as principais queixas de quem passa pela cirurgia.

E em alguns casos, algumas complicações podem ser um pouco mais sérias e graves, como em casos de embolismo pulmonar, trombose, vazamentos do grampos, obstruções intestinais, úlceras ou até mesmo a necessidade da remoção da vesícula.

QUAL O PREÇO DA CIRURGIA BARIÁTRICA?

Uma das principais preocupações de quem está considerando tratar a obesidade com a ajuda da cirurgia bariátrica é o valor da cirurgia.

Muito precisa ser levado em conta ao dizer exatamente quanto custa a bariátrica. O valor costuma assustar, principalmente a quem não possui convênio médico.

Hoje a cirurgia bariátrica pode ser realizada pelo plano de saúde (que pode pagar parcialmente ou completamente o total), pelo SUS (de graça – pelo governo) ou particular.

[INFOGRÁFICO] MITOS E VERDADES
SOBRE A CIRURGIA BARIÁTRICA

cirurgia bariatrica

» Coloque seus dados abaixo para baixar uma versão em Alta Resolução desse infográfico «

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de intervenções realizadas no Brasil cresceu 29,3% em dez anos. Em 2006, os números eram de 29,5 mil procedimentos enquanto em 2016 chegou a mais de 100 mil. A tendência é que essa percentagem aumente cada vez mais, uma vez que a população está mais informada sobre a cirurgia. No entanto, uma parcela importante dos pacientes desconhece as alterações pós-operatórias que podem surgir. 

Sabemos que este procedimento vem sendo usado como alternativa efetiva para quem busca, através do emagrecimento, saúde e qualidade de vida. Os procedimentos, que grampeiam ou retiram parte do estomago, são totalmente seguros e ganham cada vez mais pacientes em todo o país, porém existem muitas informações sobre o assunto e algumas delas são mitos.

7 DÚVIDAS QUE TODO MUNDO
TEM SOBRE CIRURGIA BARIÁTRICA

1. O que esperar após a cirurgia bariátrica?

Além da perda significativa de peso, a cirurgia bariátrica pode trazer grandes mudanças na sua vida.

Existem diversas vantagens como a melhoria da saúde em geral, o aumento da qualidade de vida e a diminuição significativa das doenças relacionadas à obesidade.

A auto-estima, a “famosa fonte de energia” que nos ergue e nos dá ânimo para superarmos os desafios da vida, também costuma aumentar após a cirurgia.

É comum que em casos de cirurgia bariátrica os pacientes apresentem complicações nutricionais.

São comuns anemias, deficiência de ácido fólico, cálcio e vitamina b12, podendo também ocorrer desnutrição em casos mais graves, tudo para obter o peso desejado de forma mais rápida.

Os cuidados nutricionais garantem que você realize a adequação de nutrientes e calorias para se ter uma boa recuperação após cirurgia, preservando a massa magra durante o emagrecimento e minimizando problemas de refluxo.

Então são várias as coisas que se pode esperar após cirurgia, sendo elas positivas ou não dependendo apenas do seu organismo, lembrando que se seguir corretamente as exigências médicas e nutricionais tudo será mais fácil, te levando ao peso ideal se muito esforço.

Lembre-se, você é a (o) principal interessada(o) em que tudo ocorra da melhor maneira e que a recuperação seja mais rápida e melhor.

2. Vou precisar emagrecer antes de fazer a cirurgia bariátrica

Sim, em muitos casos é necessário fazer uma dieta de aproximadamente seis meses antes de fazer a cirurgia bariátrica, como nos casos de obesidade mórbida.

Com IMC muito acima de 50kg/m², perder um pouco de peso faz parte do procedimento pré-operatório indicado. Uma dieta pré cirúrgica também pode ser indicada para pacientes que tem gordura no fígado (esteatose hepática).

Muitos exames são feitos com o objetivo de entender o real estado de saúde de quem quer operar.

Exames de sangue, medição da pressão arterial, dosagem da glicemia, lipídios sanguíneos e avaliação das funções hepáticas, cardíaca e pulmonar, endoscopia digestiva e ecografia abdominal estão na lista solicitada pelos médicos.

3. O que posso comer na dieta liquida?

A dieta líquida é obrigatória após a cirurgia bariátrica e tem duração de algumas semanas após o procedimento.

Os alimentos só podem ser consumidos na consistência líquida, em micro goles e em pequenas quantidades.

O consumo inicial é de um copinho de café, aumentando conforme o passar do tempo para cerca de 100 a 150 ml.

São refeições feitas, em média, de 6 a 8 vezes ao dia, com um intervalo de no máximo duas horas de uma refeição para a outra.

Os alimentos devem ser ingeridos de forma lenta, podendo demorar até mesmo 40 minutos para terminar a refeição.

Os alimentos que são permitidos na primeira semana após cirurgia bariátrica são: chás, suco de frutas naturais, verduras e legumes, bebidas de soja, água de coco, caldos caseiros de carnes, frangos, peixes, legumes.

Lembrando que é muito importante tomar bastante água ao longo do dia em pequenas goles e tomar os suplementos que seu médico prescrever.

4. O que posso comer na dieta pastosa?

Essa fase irá durar de 15 dias a um mês, e o paciente deve mastigar muito bem os alimentos e comer pequenas quantidades, sem pressa para fazer bem a digestão.

Os alimentos utilizados nesta fase são: cremes de legumes, mingau, purês de frutas tanto cozidas como cruas, purês de proteínas e vitaminas de frutas com suco de soja ou água.

Lembrando ainda que devem ser feitas as refeições bem lentamente de 6 a 8 vezes ao dia.

Quanto mais cuidado você tiver com sua alimentação melhor será a recuperação, e acima de tudo você estará reaprendendo a comer refazendo seu hábito alimentar, levando essa boa forma pelo resto da vida.

5. Existe algum risco de morte na cirurgia bariátrica?

Sim, toda cirurgia tem riscos de complicações e até mortalidade.

Esses riscos dependem de alguns fatores como a experiência da equipe cirúrgica e a gravidade das doenças associadas a obesidade.

Entretanto, quando falamos de cirurgia bariátrica, há um risco mínimo e 99,85% das operações são consideradas um sucesso, envolvendo desde a cirurgia em si até a recuperação imediata.

Por isso é importante procurar uma clínica de qualidade, com experiência e que já tenha histórias de sucesso na área.

O índice de complicações graves, definidas como aquelas que precisam de um tempo mais longo de internação ou alguma intervenção ou até mesmo em casos de refazer a operação são mínimas, chegando a no máximo 2%. Com uma boa equipe cirúrgica, esse número se torna ainda menor.

Assim, podemos ver que tudo nessa vida nos leva a correr os riscos, basta decidirmos o que realmente vale a pena tentar, lembrando que estamos rodeados de ótimos profissionais nessa área, que atendem todas as recomendações necessárias para uma cirurgia sem risco.

Nenhuma cirurgia é tão simples como uma consulta, o paciente passa por diversos exames e profissionais de diversas áreas, e só após tudo isso que o profissional decide se realmente é necessário e se você está “saudável” a fazer uma cirurgia.

Não tenha medo de correr atrás dos seus sonhos, pois eles nos levam a nossa felicidade.

6. Vou precisar tomar vitamina para o resto da vida?

Entendemos que a cirurgia bariátrica resultará em uma absorção menor de algumas vitaminas devido a alterações anatômica do estômago e do intestino proximal.

A deficiência de algumas vitaminas e minerais após cirurgia podem causar alterações neurológicas, dermatológica, como na pele, nos cabelos, nas unhas e nas regiões ósseas.

Por isso é extremamente necessário os suplementos e vitaminas, cálcio e ferro por um longo tempo.

O que você realmente deve saber e ter a responsabilidade e de que desde os primeiros dias de dietas sendo elas as liquidas e também as pastosas devem ser consumidas rigorosamente dando prioridade aos alimentos que contenham as vitaminas e ferro das quais o seu médico lhe indicou, e claro que além da dieta seguida rigorosamente deve se fazer uso das vitaminas e suplementos prescritos.

Após o terceiro mês, você passará por exames onde irão diagnosticar a ausência ou não de vitaminas e ferro necessário. Então tudo depende de cada paciente e de cada organismo, mas principalmente, de determinação em fazer tudo de forma correta e indicada por um profissional.

7. O que é Dumping? Todos têm isso?

Dumping ou síndrome de Dumping, é conhecida pelo esvaziamento gástrico rápido, que ocorre quando a parte inferior do intestino delgado se enche rapidamente com alimentos não digerido no estômago, causando desagradáveis efeitos digestivos.

O Dumping também pode ser desenvolvida em pacientes submetidos a cirurgia bariátrica devido ao consumo de carboidrato simples; açúcar, balas, doces ou carboidratos com alto índice glicêmico.

A síndrome de Dumping nada mais é do que resultado da própria cirurgia bariátrica que mexe com os sistemas funcionais do estômago e intestino delgado. Dando assim, novos hábitos alimentares.

Afinal, tudo é muito novo e o seu organismo não está acostumado, todas as mudanças e a sensação estranha que os órgãos internos iram apresentar, acaba gerando a síndrome do Dumping.

Todos têm? Não necessariamente, isso vai de organismo para organismo, mas na maioria dos casos sim.

Essa é só uma forma do nosso corpo dizer: “O que está acontecendo? ”, “ Como mudou tudo tão rapidamente? ”

E cabe a você explicar a ele que está tudo bem e vai continuar tudo bem.

Lembrando que a cirurgia bariátrica não é um risco, mas sim um grande passo para uma vida melhor.